Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

The Middle Way

Blog humanitário e reivindicativo da liberdade e felicidade de todos, até do próprio planeta.

Blog humanitário e reivindicativo da liberdade e felicidade de todos, até do próprio planeta.

19
Ago17

Zero Waste e Slow Living

JR

Afinal, qual a filosofia por trás do estilo de vida Zero Waste?

Resumidamente, diminuir ao máximo a quantidade de lixo que vai parar aos aterros.

 

À medida que vou descobrindo mais sobre este estilo de vida, sempre com um ponto de vista crítico e pessoal, começo a pensar o mundo de outra maneira. As minhas escolhas mudaram de forma profunda. Não consigo olhar para o consumismo desenfreado da mesma forma, aquilo que escolho é mais ponderado e parece que me sinto mais alerta e consciente. Faz todo o sentido. Na verdade, não precisamos de mais de metade das coisas que temos. Deitamos tudo fora com demasiada leveza. Tudo é descartável e demasiadamente rápido e etéro. Por isso, muitas vezes, o conceito de Zero Waste aparece associado ao conceito de slow living. Ou seja, pararmos. Abrandarmos o ritmo da vida, das compras, do consumismo. Abrandar para termos tempo e espaço para dar valor ao que, realmente, importa.

 

busy.png

 

 

Está, também, associada a uma forte componente ética. Respeitar o planeta onde vivemos, os animais, as pessoas. Ter consciência que os recursos que utilizamos são finitos e que a população é demasiada para esses recursos. Respeitar o ciclo natural do planeta, para que se possa regenerar, a seu tempo, permitindo-nos continuar a retirar dele o alimento, energia, roupa e conforto.

 

 

cycle.png

 

 

Estes são os seus princípios-base: recusar, reduzir, reutilizar, reciclar e fazer compostagem. Seguindo estes princípios, não é produzido lixo doméstico, o fim de um produto acaba por dar início a um novo ciclo e a um novo produto. Passar de um sistema linear para um sistema mais cíclico, em que os materiais são utilizados de forma mais eficiente. Em que a escolha desses mesmo materiais é tida em conta para que, na altura em que cheguem ao fim do seu ciclo e se tornem lixo, sejam o menos tóxico possível.

 

Implementar isto de forma radical é difícil. Mas abre-nos portas para melhores escolhas.

 

Não pretendo que todos nós consigamos colocar todo o nosso lixo num pequeno frasco de vidro. Mas todos nós podemos fazer mais. Cuidarmos um pouco mais. Preocuparmo-nos mais.

A oferta é pouca. No mercado estamos rodeados de tudo que é descartável: fast food, fast fashion... Quem quer mudar tem de fazer alguma ginástica. Talvez, se mais gente exigir produtos mais sustentáveis, comecem a aparecer mais alternativas a preços mais acessíveis. Talvez se torne a norma.

 

 

Nos dias que correm, até a vida se está a tornar descartável.

É por aqui que queremos continuar a caminhar...?

 

 

Follow

4 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Blogs Portugal

A Ler

Links

  •  
  • Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2017
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2016
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D

    Website translation