Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

The Middle Way

Blog humanitário e reivindicativo da liberdade e felicidade de todos, até do próprio planeta.

Blog humanitário e reivindicativo da liberdade e felicidade de todos, até do próprio planeta.

22
Jun17

Guerra declarada às bactérias #1 - um estendal fofinho

JR

As bactérias são omnipresentes. E há de tudo um pouco. Bactérias boas. Bactérias más. Bactérias mais ou menos. Bactérias circunstancialmente más...

 

Sempre contactei, de forma próxima, com estes seres. Muitos dos casos cirúrgicos estão, de alguma forma, relacionados com infecções. A hipótese de infecção paira sempre, que nem nuvem negra, na cabeça de qualquer cirurgião. Portanto, eu e as bactérias somos velhas conhecidas. E é exactamente por isso que as respeito.

Mas nunca fui nenhuma maníaca das limpezas, nem especialmente preocupada com essas questões fora do hospital.

 

A partir do momento que fui mãe de uma menina com Fibrose Quística (FQ), parece que as consigo ver, macroscopicamente, à minha frente. Em todas as superfícies. Parece que, tal como o tempo passa, também consigo sentir o crescimento das suas colónias e o movimento delas nas minhas mãos. Irracional, claro. O que acontece é que, perto do momento em que o diagnóstico é feito, surge esta obsessão por tentar exterminar os bichos. Passamos por uma fase inicial de exagero absoluto e descontrolado até que, lentamente, chegamos a um patamar lógico, equilibrado e sem histerismos. Mas nunca, nunca, regressamos ao estado despreocupado de antigamente. E é assim mesmo que tem de ser.

 

Entretanto, esbarrei num artigo online acerca das bactérias em peluches. Tem toda a lógica que estes brinquedos estejam cheios delas: porosos, quentinhos, cheios de baba de criança, pêlos de animais, terra e...sabe-se lá o quê mais. A verdadeira curiosidade é que uma criança de 12 anos levou a cabo um estudo simples: fez cultura de amostras de peluches lavados e não lavados e comparou os resultados. Chegou à conclusão que, uma simples lavagem na máquina, seguida de um ciclo de secagem, foi suficiente para reduzir, significativamente, o número de bactérias, fazendo com que os peluches fossem considerados "esterilizados".

Este estudo foi publicado no Journal of Pediatric Orthopedics com o título "Stuffed Animals in the Operating Room: A Reservoir of Bacteria With a Simple Solution".

 

 

Aproveitando este calor e bom tempo, decidi lavar todos os peluches da bebé.

Ciclo curto de lavagem, a 30ºC, centrifugação mínima. Juntei uma tampinha do desinfectante de roupa da Sanytol ao amaciador e estendi tudo ao sol.

 

IMG_20170620_094443.jpg

IMG_20170622_165307.jpg

 

Se isto vai ter alguma influência de relevo? Não sei.

Mas sossega a mente.

 

Aceito sugestões de limpeza e desinfecção de roupa, peluches e brinquedos. Não conheço muitos produtos.

 

 

 

PS - post não patrocinado.

 

Follow

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Blogs Portugal

A Ler

Links

  •  
  • Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2017
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2016
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D

    Website translation