Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

The Middle Way

Blog humanitário e reivindicativo da liberdade e felicidade de todos, até do próprio planeta.

Blog humanitário e reivindicativo da liberdade e felicidade de todos, até do próprio planeta.

14
Nov17

Família, sustos e um bolo de toranja.

JR

Estes últimos dias foram uma montanha-russa de sentimentos.

O fim-de-semana foi perfeito. Conseguimos juntar a família toda à volta de uma mesa incrível, com pratos deliciosos. Nos dias de hoje, é difícil reunir as pessoas de quem gostamos. A vida é apressada, as viagens de carro são dolorosas e sonolentas, os horários são incompatíveis e as pessoas estão dispersas.

E assim, num fim-de-semana frio mas solarengo, lá nos juntamos. A bebé brincou com os primos, feliz. Disse, pela primeira vez, avô (para alegria dos sortudos contemplados). Correu e dançou.

 

E foi no rescaldo de tanta alegria, que a segunda-feira chegou com outros propósitos. A pequenina terminou o dia com febre alta. Mantivemos a calma, esperamos para ver a evolução. Não conseguimos perceber bem qual o foco da febre. Foi nesse momento que eu percebi que o fantasma da Fibrose Quística está sempre aqui. Auscultei mais que uma vez, por vezes achava ouvir qualquer coisinha anormal, outras parecia-me tudo limpo. Mas a febre manteve-se até hoje. Travei uma pequena luta interior: levá-la ao hospital significava fazer uma mão cheia de exames invasivos, mas esperar podia significar o arrastar de uma infecção respiratória que podia deixar sequelas. Lá fomos, relutantemente.

Após um longo e penoso dia no hospital, regressamos a casa exaustos. Principalmente a nossa pequenina que, heroicamente, suportou tudo. Felizmente, estamos mais tranquilos. Parece ser apenas uma das viroses habituais nesta altura do ano e que, portanto, há-de passar natural e progressivamente.

É incrível o medo que habita em nós, disfarçado e latente, mas que explode ao mais pequeno estímulo. É algo que se entranha em nós, a par com o amor crescente, no momento em que nos tornamos mães.

 

 

Agora que a calma se instala sento-me, enfim, ao computador.

Aproveito para partilhar um bolo de toranja que experimentei recentemente. É um fruto que raramente compro. Mas, na tentativa de utilizar mais produtos da época e havendo tantas toranjas disponíveis por aí, decidi trazer para casa. Mais uma boa forma de introduzir um extra de vitamina C na dieta.

A receita foi adaptada daqui.

 

IMG_20171102_194016.jpg

 

 

Bolo de toranja e sementes de papoila

 

Ingredientes:

- 200g de farinha

- 2 colheres de chá de fermento

- pitada de sal

- 250g de iogurte grego natural

- 2 colheres de chá de raspa de toranja

- 230g de açúcar

- 3 ovos

- 1/2 colher de chá de essência de baunilha

- 200g de azeite 

- 1 colher de sopa de sementes de papoila

 

Para a cobertura:

- sumo de 2 toranjas

- 1 colher de sopa de açúcar

 

Para decorar:

- rodelas finas de toranja

- rodelas de laranja desidratada

 

Pré-aquecer o forno a 180ºC. Untar uma forma de bolo inglês.

Misturar a farinha, o fermento e o sal numa taça grande. Numa taça média, juntar o iogurte, o açúcar, os ovos, a raspa de toranja e a essência de baunilha e misturar bem. Aos poucos, juntar os ingredientes secos à massa já formada. Incorporar, depois, o azeite e bater até criar uma mistura homogénea. Por fim, adicionar as sementes de papoila, mexendo até ficarem distribuídas por todo o preparado.

Verter a massa na forma escolhida e decorar com as rodelas de toranja (as minhas rodelas foram parcialmente engolidas pelo próprio bolo!). Deixar cozer durante cerca de 50 minutos, ou até passar no teste do palito.

Depois de cozido na perfeição, remover e deixar arrefecer antes de desenformar. Neste momento, preparar a calda juntando, numa panela pequena, o sumo de toranja e a colher de açúcar. Deixar levantar fervura, em lume médio, mexendo sempre. Remover quando o açúcar estiver totalmente dissolvido. Verter sobre o bolo enquanto este ainda estiver morno (absorve melhor a calda).

Eu decorei, também, com laranja desidratada que tinha comprado a granel e reservei alguma calda para os mais gulosos (eu) acrescentarem na altura de comer.

 

IMG_20171102_133702.jpg

 

IMG_20171102_133733.jpg

 

IMG_20171102_193902.jpg

 

 Este bolo não é tão doce quanto os típicos bolos de laranja. A toranja confere-lhe um toquezinho amargo que eu, pessoalmente, adoro. Mas, se preferirem, basta substituir a toranja pela laranja na receita e o resultado deve ser, igualmente, maravilhoso.

 

Quem mais usa toranja na cozinha? Que receitas têm para partilhar?

 

Follow

2 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Blogs Portugal

A Ler

Links

  •  
  • Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2017
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2016
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D

    Website translation