Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

The Middle Way

The Middle Way

01 de Julho, 2017

Dia Mundial das Bibliotecas

JR

dd05190ada36b12ffeb4cfff2267c55b.jpg

 

 

Sim, é verdade. Agora descubro estas coisas.

 

Confesso, adoro livros. Adoro as palavras. Fascina-me a forma como, se tivermos cuidado e atenção, conseguimos descrever, quase ao pormenor, sentimentos e sensações. Tantas e tantas vezes, ao ler, descubro relatos fiéis de coisas que senti mas que nunca tinha conseguido transformar em frase. Reconforta-me. A literatura é bonita e torna a vida bonita. Preenche a vida de vida. De muitas vidas. Dá-nos vida e, ao mesmo tempo, abstrai-nos dela.

 

Nos últimos anos os livros têm-se demorado mais na estante. Mais do que queria. E tenho pena. Por isso, ultimamente, tenho feito um esforço por ler mais, por ler como antes, ao ritmo de antes. Às vezes, para cuidarmos daquilo que gostamos, é preciso dedicação (e menos horas de sono...).

 

Regressando às bibliotecas...lembro-me de, em pequena, trazer livros da biblioteca. Daqueles com o papelinho branco e um código identificador. Assim que os entregava, trazia logo outro. E outro e depois outro. Mas, o que eu gostava mesmo era de descobrir os livros da nossa biblioteca familiar. Sentar-me em frente à estante (ou empoleirar-me nela para chegar às prateleiras do topo) e perder tempo a escolher uma história.

 

Por muito que estudar cansasse e desejasse ardentemente pelas férias, tive sempre um gosto miudinho pelas épocas de exame, em que saía de casa rumo a uma biblioteca. 

 

Em criança, quando projectava a minha casa futura, não pensava no números de quartos, closets ou piscinas. Dizia sempre: "a minha casa vai ter uma biblioteca".

Não tem, ainda. Mas o sonho permanece. O sonho de uma casa de campo, ponto de encontro da família, dos filhos crescidos e, depois, dos netos. Uma porta entreaberta, ao fundo de um corredor: a biblioteca. Estantes de livros carinhosamente guardados ao longo dos anos, por mim e pelo pai, onde as crianças escolhem as mesmas histórias que nos fizeram rir. Ou chorar. E avistar, pela noite dentro, uma luzinha acesa no quarto dos miúdos por não conseguirem parar de ler - "só mais um capítulo, só mais um!". E sorrir, fechar os olhos e deixá-los ler a noite toda.

 

Essa biblioteca existe dentro de mim. E é, mais ou menos, assim.

 

07dd638b6b6012c8ec03155d4c63f732.jpg

 

0f302b30b87a6010cf03ba4f448dfd5c.jpg

 

d7f0ccd39ba052c09331bf2d21508700.jpg

 

efe8448ff9b78c74816c8c07acbc5f55.jpg

 

f7d279d06cc2890a08200f9f21542ff3.jpg

 

 

Alguém com uma biblioteca em casa?

Follow

2 comentários

Comentar post